quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O discreto pudor do fumo


Sophia fumava. Pouco. E raramente foi fotografada com um cigarro na mão. Já Mário Cesariny era um fumador inveterado e por pouco tempo que se estivesse a seu lado era inevitável vê-lo acender um cigarro, hábito de que resultaram inúmeras fotografias suas, mesmo de pose e de estúdio que memorizam a sua imagem a fumar.

No entanto, nos últimos anos um discreto pudor do fumo tomou conta das contracapas e badanas dos livros e, até dos sites, cerceando o cigarro das imagens dos autores e custa a acreditar que resulte meramente de uma bitola gráfica aparentando antes uma estética de omissão dessa característica do autor, talvez considerada pouco saudável para a sua venda a granel. Quase como se por imposição de uma moda capilar de testa descoberta se apagasse agora a franja das fotografias de Beatriz Costa.


Imagens de JornalismoPortoNet e Assírio & Alvim.

6 comentários:

PreDatado disse...

Acho de facto de um grande mau gosto. Eu deixei de fumar há dois anos e nunca tive uma unica atitude ou palavra contra os fumadores.

JPG disse...

Pois. A beata de Lucky Luke foi substituída por uma palhinha (de erva, salvo seja) e já foram feitos diversos cortes "cirúrgicos" em peças da História cinéfila, rasurando o cigarro das mãos de insuspeitíssimos actores e actrizes. Deverá avançar brevemente a proibição total do fumo (do cigarro, não das bombas e das armas de fogo) em todos os filmes americanos e ingleses. Não tardará muito até que vejamos Vasco Santana a cantar "O Fado do Estudante" sem cigarro, sem escorropichar bagaços uns atrás dos outros e sem dizer "morra o fado, morram os fadistas".
Quanto à "traidora da franja", ainda não lembrou aos eco-nazi-fascistas cortar-lhe a dita, mas não perde pela demora, digo eu, se houver alguma alegação a respeito dos malefícios que o cabelo pode provocar na visão, ou assim.

maria_arvore disse...

PreDatado,
também me parece que respeitar os outros não é hostilizá-los só porque têm opções diferentes das nossas.

maria_arvore disse...

JPG,
Com tantos exemplos parece que voltou a moda de adulterar a História recortando, apagando ou modificando partes de fotografias, conforme se iniciou na Rússia.
E que não lembre essa aos eco-nazi-fascistas que ainda me prendem ;), pela franja e por pensar que a sua religião da Santa Saúde se esquece da qualidade de vida das pessoas por me parecer que a liberdade de escolha é mais saudável. ;)

Hipatia disse...

Então é aqui que se fuma um cigarrinho?

:)))

maria_arvore disse...

Nem mais, Hipatia! :)
É o prazer relaxante de ter tempo para pensar.